Como a tecnologia agiliza o trabalho de avaliação docente

O trabalho de avaliação docente tem se tornado cada vez mais relevante e frequente no ensino superior brasileiro, especialmente em instituições focadas em pesquisa. Do ponto de vista da qualidade do ensino, avaliar o professor é essencial porque o aprendizado dos alunos está diretamente relacionado ao bom desempenho dos docentes em sala de aula. Sob a ótica da gestão, avaliar é importante, tendo em vista que a produtividade dos professores é critério para avaliação dos programas de pós-graduação pela Capes, além de sua participação em programas de fomento, incentivos e progressão na carreira, por exemplo.

Um bom professor deve ter domínio do conteúdo que leciona e de práticas pedagógicas que envolvam os alunos. Há vários métodos para avaliação docente, entre eles a autoavaliação, as análises feitas pelos alunos e o acompanhamento do trabalho feito pelos gestores da instituição. No meio acadêmico não há consenso sobre qual o método mais eficaz para uma avaliação docente, porém a maioria dos pesquisadores concorda que unir análises quantitativas e qualitativas é o melhor caminho.

Para as análises quantitativas, uma das principais fontes de informação é o currículo Lattes. É a partir dele que os gestores de IES podem acompanhar a produtividade dos professores. Outros indicadores são bastante utilizados na avaliação qualitativa dos docentes, como o Índice H, que se propõe a quantificar a produtividade e o impacto de cientistas baseando-se nos seus artigos mais citados, bem como os diversos fatores de impacto dos periódicos nos quais os pesquisadores publicam (ex: JCR, SJR, SNIP, Scopus h-index).

Fazer uma avaliação docente de produtividade de maneira manual, tendo de abrir currículo por currículo de cada professor de um departamento ou curso, é um trabalho demorado e suscetível a muitos erros. Além disso, se a quantidade de docentes a ser analisada for muito grande, ao final do levantamento, que pode levar semanas, é possível que as informações já estejam desatualizadas. Nesse sentido, a plataforma Stela Experta© agiliza e muito o trabalho.

 

Como a Stela Experta© auxilia na avaliação docente quanto a produtividade

 

A plataforma Stela Experta© utiliza como fontes de informação os currículos e grupos de pesquisa da Plataforma Lattes, o Qualis Periódicos/Capes, fatores de impacto dos periódicos (JCR, SJR, Scopus h-index) e dados fornecidos pela a própria instituição. As informações são atualizadas semanalmente e em poucos cliques é possível gerar relatórios que auxiliarão na avaliação docente.

Utilizando os filtros oferecidos pela plataforma, o gestor pode segmentar sua avaliação por ano, tipo de publicação, área de conhecimento da produção, curso de atuação e titulação dos autores, entre outras possibilidades. Além da questão quantitativa, a solução permite avançar em uma análise mais qualitativa, a partir da geração de relatórios e indicadores das publicações por estrato Qualis e fator de impacto JCR, por exemplo. Tudo de maneira rápida e prática. Veja exemplos de gráficos gerados pela plataforma Stela Experta©:

 

 

“Tivemos um acréscimo de agilidade e rapidez na produção de relatórios, com ocorrência mínima de erros e aprimoramos a gestão e os processos de tomada de decisão na instituição”, conta Renato de Souza, assessor da diretoria de Pesquisa Aplicada da Estácio de Sá. A Estácio é um dos cases de sucesso de instituições que utilizam a Stela Experta© para apoiar a gestão da produtividade dos docentes de todas as unidades da universidade espalhadas pelo Brasil.

Atualmente, entre os clientes da plataforma, os filtros mais utilizados para geração de relatórios e indicadores visando avaliar os docentes são:
1 – Tipo de produção (artigo publicado em periódicos, livro, capítulo de livro).
2 – Busca textual (campo aberto para digitação de termos específicos de interesse do gestor).
3 – Nome do autor (para avaliar os dados de um profissional específico).
4 – Titulação máxima do docente.
5 – Lotação do docente na instituição.
6 – Curso de atuação do docente.

Muitas instituições não conhecem o perfil, as expertises e as potencialidades de seus professores, e nesse sentido a Stela Experta© também auxilia na avaliação docente. Um exemplo prático: os gestores de uma universidade estavam avaliando a possibilidade de criar um curso de pós-graduação na área Odontologia. Ao avaliar o quadro de professores utilizando a plataforma, rapidamente identificaram 81 doutores com potencial para atuar no novo programa, utilizando uma busca textual combinada com o filtro de titulação máxima dos docentes.

 

 

Além disso, a instituição obteve rapidamente informações sobre o perfil dos docentes identificados (ex: distribuição dos docentes por curso da titulação máxima, por enquadramento funcional, por regime de trabalho, entre outras).

 

 

 

Por fim, em cliques de mouse conseguiram identificar o perfil dos artigos publicados em periódicos pelos docentes nos últimos quatro anos, em função dos estratos Qualis da área de avaliação Odontologia.

 

 

Sem comentários

Postar um comentário